Aviso aos navegantes

Há cerca de 10 anos, quando conheci Marcelo B. Gomes em Rio Branco, no Acre, ele já era um iniciado em assuntos esotéricos. Entendi que havia algo em comum entre nós: estávamos os dois ali, na última fronteira da Amazônia ocidental, para beber na fonte do misticismo da floresta.

De lá para cá estivemos juntos em várias jornadas, aqui e acolá, e pude perceber que sua sede de conhecimento é insaciável.

Talvez, por isso, ele tenha abandonado as redações para ingressar no quadro docente da Universidade Federal do Rio Grande, onde, de alguma forma, pode dar vazão ao seu espírito inquieto, perscrutador, estudando, analisando e pesquisando os temas de seu interesse.

Talvez, por isso, eu tenha aceitado o convite para sacramentar a parceria em torno desse trabalho, o qual, acredito, representa um canal de expressão e transmissão das informações acumuladas por este professor/jornalista e por outros profissionais especializados nessa área do conhecimento humano e sobrenatural que também serão convidados para participar do projeto como colunistas.

Aos textos acadêmicos, porém, serão acrescentadas reportagens e matérias jornalísticas enfocando as atividades das diversas correntes espiritualistas contemporâneas, de maneira a se apresentar, aos nossos internautas, um quadro holístico e universal, sem engajamento, preconceito e discriminação, sobre o que está sendo produzido e sugerido no campo das atividades místicas, esotéricas e religiosas.  

A idéia de constituir esse site brotou durante uma viagem recente que realizamos a Campina Grande. Poucos dias depois, boa parte do material já havia sido coletado e sem demora a página foi para a rede. Acho, contudo, que a estrutura do site ainda não é definitiva. Isso só vai acontecer aos poucos, na medida que as necessidades e demandas do momento forem sendo atendidas.

Uma coisa, no entanto, é certa: nosso objetivo é fazer com que a ESPIRITUALIDADE CONTEMPORÂNEA seja uma referência para iniciados ou não; que cumpra sobretudo o papel social de informar e ajudar a formar a consciência que o homem do terceiro milênio precisa para caminhar na direção de si mesmo e da centelha divina que carrega no âmago.

 

Moura Neto,

o Editor de Conteúdo